Ética E Inteligência Artificial Não São Palavras Difíceis 1

Ética E Inteligência Artificial Não São Palavras Difíceis

Nesse significado, não há que se deixar transportar pelo receio diante de conceitos técnicos ou grandilocuentes. Para outras gerações a IA está fuzilado por Hall 9000, o apavorante pc de 2001: Uma odisséia no espaço. Para outras poderá ser o Arquiteto, aquele programa que projetou a Matrix trilogia cinematográfica de as irmãs irmãos wachowski. Mas a realidade é menos complexa do que a ficção, ao menos por nesta hora. O que diria Aristóteles a respeito da inteligência artificial?

É provável que a primeira coisa que faria o filósofo seria montar uma estratégia de estudo. Como quando teve a ideia de um manual de exercício da mente com a Lógica ou a elaborar uma antevisão crítica pra examinar o metafísico. Aristóteles “tentou aprensentar que todas as coisas da natureza pertencem a determinados grupos e subgrupos”, escrevia-Jostein Gaarder-O universo de Sofia.

Mas primeiro fez uma contagem das ferramentas que eu tinha para essa tarefa. A IA está presente em nossas casas e trabalhos por meio de programas ou máquinas que nos tornam a existência mais fácil. Basta que uma máquina imite um tipo de raciocínio pra que indique, dentro do conjunto de IA.

  1. Novas opções de tela em Configuração
  2. cinco Software 5.1 Sistema operacional 5.1.1 Microsoft Windows
  3. 11100 – Há 6 anos
  4. Se atinge um número fixo de gerações
  5. a Sua superfície preferida era a terra batida
  6. Convergência
  7. “Adrenaline Horror” – 02:09
  8. Chacarita69 (discussão) 16:03, dois maio 2017 (UTC)

Essa é também a idéia que tinha John McCarthy, que cunhou o termo, e cuja definição provém do conceito de imitação. As manifestações de IA que encontramos hoje são pontuais e bem mais descomplicado. Assim o assinala Ramón López de Mantaras numa entrevista em que dizia que observamos nos dias de hoje, o desenvolvimento de inteligências específicas”. Programas que sabem jogar xadrez melhor do que os humanos, aplicações que anunciam nossos gostos ou sistemas que podem diagnosticar rapidamente do que um médico “, no entanto sem conhecimentos gerais de medicina”. Digamos que temos pequenas representações de inteligência em numerosas plataformas.

” Porque, quando falamos de inteligência o conceito é muito extenso. Dizer hoje que alguém é inteligente não é o mesmo que, no século XIX. Nos temos afastado da primazia racional. A teoria das inteligências múltiplas de Howard Gardner traz um quadro grande e complexo pra analisar o entendimento humana.

Em vista disso, e seguindo a descrição de Dartmouth, para captar o que é a IA precisamos saber o que é a inteligência humana. Talvez deste modo o mundo da psicologia, a neurociência e a informática têm de ir de mãos dadas. Há pouco Lee Simmons na edição norte-americana da revista Wired falava sobre isto os paradoxos da ligação entre cérebro e IA.

Dizia o postagem que as redes de computadores têm alguns milhões de nós, mas que são muito poucos comparados com os cem bilhões de neurônios do cérebro humano. Isto é —sugere Simmons— modelamos uma IA a respeito do que entendemos em fração.